COTO

Orago: Nossa Senhora dos Anjos
População: 1200 habitantes
Actividades económicas: Agricultura, pecuária, floricultura, indústria de cerâmica, serralharia, comércio geral, prestação de serviços, formação agrícola, etc
Feiras: Mercado Semanal (aos Sábados)
Festas e romarias: Festa do Chouriço (Fevereiro), Festa de São Jacinto (Julho), Festa em Honra de Nossa Senhora dos Anjos (1.ª semana de Setembro)
Património cultural e edificado: Igreja Paroquial de Nossa Senhora dos Anjos e Capela de São Jacinto
Outros locais de interesse turístico: Miradouro do Vale do Coto
Gastronomia: Cozido à portuguesa, Borrego no forno, Leitão e Doces Tradicionais
Artesanato: Tapeçaria e cestaria em vime
Colectividades: Associação Recreativa e Cultural do Coto (ARECO)

O Coto situa-se a 4 kms de Caldas da Rainha, no centro do concelho e é limitada a Norte com as freguesias de Tornada e Salir de Matos. A Sul pelas freguesias de Nossa Sr.ª do Pópulo e Salir de Matos. A Este pela freguesia de Salir de Matos e a Oeste pela freguesia de Tornada.
A freguesia engloba os aglomerados de Coto, Vale do Coto, Casais da Ponte, Casais da Serralheira e Casais de S. Jacinto.
Não existem muitos elementos para se falar da história da freguesia do Coto. Alguns documentos fazem referência ao lugar: os registos mais antigos são do séc. XIV. Por exemplo, um mapa de propriedades da Igreja de Santa Maria de Óbidos e de bens deixados ao Clero, podemos ler “o casal deixado à igreja por mestre Gil, no Coto (junto à Tornada)”. O referido documento especifica a propriedade, a qual fica junto ao limite Sul da extensão máxima dos Coutos de Alcobaça. Presume-se que este Casal pudesse ter dado origem ao nome do lugar.
A paróquia do Coto é criada em 28 de Abril de 1610, em 1836 com a reforma administrativa de Passos Manuel, o Coto deixou de pertencer a Óbidos e foi integrado no concelho de Caldas da Rainha.


A Igreja Paroquial dedicada a Nossa Sr.ª dos Anjos, mandada fazer em 1610 quando da criação da paróquia. A sua arquitectura em termos artísticos não é relevante. De salientar os seus castiçais em latão do início do séc. XVII.
A capela de S. Jacinto, cuja data de construção é desconhecida, mas é em 1745 data atribuída ao revestimento interior em painéis de azulejo mandado fazer pelo Rei D. João V. Os painéis são atribuídos por José Meco a Bartolomeu Antunes, grande pintor do segundo quartel do séc. XVIII, apresentando uma boa ordenação ornamental com os enquadramentos revelando já exemplos de assimetria, pré anunciando o “rocaille”. Dado o seu interesse artístico e histórico, encontra-se em processo de classificação.
A freguesia do Coto é a mais pequena do Concelho de Caldas da Rainha, tem uma área de 5,63 km2, onde residem aproximadamente 1200 habitantes.


voltar